terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Os cinco melhores livros de 2012

     Oi galera, fim do ano e do mundo se você acredita nessas coisas, hora de fazer as retrospectivas. Decidi escolher os 5 melhores livros que li durante o ano, o que é uma grande coisa, no início minha meta estipulada eram apenas 12 títulos, mas fechei com 46 obras devidamente lidas e apreciadas. 
        As minhas opiniões abaixo são simples já que sou um simples estudante de Farmácia, não espere resenhas dignas de revista especializada em Literatura. 

1. Jennifer Egan, A visita cruel do tempo. 

Minha primeira incursão aos ganhadores do Pulitzer não poderia ter sido melhor. O livro é uma obra-prima em todos os aspectos e inesquecível em vários níveis. Cada capítulo é um conto independente com personagens e narrativas diferentes (isso incluí primeira, segunda e terceiras pessoas e uma feita com slides). A trama cobre uns cinquenta anos e termina num futuro não muito distante, bem pé no chão.
Uma pérola para fãs de música também, já que é ela a alma os textos. Entrou para a lista dos meus favoritos e isso já quer dizer muita coisa, ao menos para mim. 




2. John Green, A culpa é das estrelas. 

Ownnnn, é isso que sinto quando lembro de A culpa é das estrelas. O sucesso começou com o autor que conseguiu divulgar em peso o livro através da internet e depois ela se manteve pela qualidade FOFA. 
A narradora é Hazel, ela tem câncer. Acho que isso seria o bastante para explicar tudo, mas... você se apega aos personagens e vive intensamente com eles. 
Eu ri, chorei e copiei lindas passagens que marcam o leitor. Não é um livro sobre morrer, mas de como viver. 



  3. Henry James, Outra volta do parafuso.

Parece, mas não é a biografia da famosa Samara de O Grito. É, sim, um clássico da literatura de suspense que nesse caso usa fantasmas\loucura. A história é narrada por uma governanta responsável por cuidar de duas crianças mais assustadoras que os dois supostos fantasmas que aparecem na história.
No fim o autor é responsável pelo desfecho, psicológico ou sobrenatural do caso. 
"Se uma criança aumenta a emoção da história e dá outra volta ao parafuso, que diriam os senhores de duas crianças?"


4. Jim Anotsu, A morte é legal. 

Odeio comparações, principalmente se elas se referem à mim no pejorativo, mas desde sempre eu disse e continuo dizendo: Jim Anotsu é o Neil Gaiman brasileiro. 
Se você quer muito alguma coisa, uma das maneiras de consegui-lá é encontrando os três nomes do gato, uma criatura poderosa e antiga; E assim Andrew e a filha mais nova da Morte entram em várias aventuras e disputas que podem acabar mal. Cheio de referências pop, texto leve e bem escrito, o segundo livro do mineiro mais misterioso de todos os tempos é diversão na certa, para adultos, crianças e pandas. 



5.Victor Lodato, Mathilda Savitch.  
Uma distopia da mente. Mathilda é uma adolescente que enfrenta a morte da irmã mais velha, um mundo cheio de terrorismo e uma família que se mantém em pé com a mesma força de uma gelatina. 
Lodato consegue descrever perfeitamente os sofrimentos de qualquer jovem tentando encontrar um ponto de encontro dentro de si e no mundo. 
Uma leitura tão agradável e bem trabalhada, dentro dos aspectos propostos que acabei me surpreendendo com o fim, previsível ou não, para outros leitores. 



Bem, essas são minhas dicas de leitura para quem precisa ou não delas. 
Desejo um 2013 cheio de saúde e livros, o resto a gente inventa. 



3 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nathalya disse...

Gostei das indicações, mas os 5 livros tem alguma relação com a morte, ou foi impressão minha?
Faz um top 5 com livros de fantasia! :)

Livro só nas Férias disse...

olá, gostei muito dessa postagem, mas acho difícil eu escolher os melhores livros que eu li em um ano.
pode dar uma olhada no meu blog, falei do seu na resenha que fiz sobre Visão do Além
Obrigada e parabens